Chapada dos Veadeiros: o que visitar, quando ir e como chegar - Foca na Folga

Um dos principais ponto turísticos de Goiás, a Chapada dos Veadeiros é procurada principalmente por aqueles que querem aproveitar o contato com a natureza. Abrangendo vários municípios, como Colinas do Sul, Cavalcante e Alto Paraíso de Goiás, ela é um importante berço hidrográfico nacional e oferece belas paisagens naturais, como dezenas de cachoeiras e enormes paredões rochosos, principais características do local.

O roteiro na Chapada dos Veadeiros inclui desde passeios mais calmos, como observações de pássaros, massagens e meditações, até os mais radicais, entre eles rapel e tirolesa praticados próximos às quedas d’água.

Os destinos mais procurados por quem visita a Chapada dos Veadeiros são Alto Paraíso de Goiás, a cerca de 400 km de Goiânia e 230 km de Brasília, e o seu distrito, São Jorge, que fica a 40 km de distância. Nessa região, o clima é bem definido: tempo seco de maio a setembro e chuvas começando em outubro e se estendendo até abril.

Saindo da capital federal, o caminho é pela GO-118, que está em bom estado de conservação e bem sinalizada em sua maior parte. Porém, é necessário redobrar a atenção após o município de São João D’Aliança, pois a estrada não possui sinalização, a pista é simples e não há iluminação.

Na região, é possível encontrar várias cachoeiras com as mais variadas alturas. Para chegar a algumas delas, é necessário percorrer trilhas que variam de 2 km a 12 km, considerando a ida e a volta. Alguns dos caminhos são planos em grande parte e bem sinalizados, enquanto outros apresentam nível de dificuldade mais elevado por terem terreno íngreme e acidentado.

Veja um roteiro com opções de lazer e atividades para fazer na Chapada dos Veadeiros:

Primeiro dia:

Mirante do Jardim de Maitreya

O mirante fica na GO-239, estrada que liga Alto Paraíso a São Jorge. O atrativo é um dos principais cartões-postais da Chapada dos Veadeiros. No local é possível ver a fileira de buritis cercados por vários morros, tendo como fundo um céu sempre azul e limpo na maior parte do ano. É possível parar o carro em um recuo da rodovia para se fotografar a paisagem.


Vale da Lua

Ainda na mesma estrada, já próximo a São Jorge, encontra-se o Vale da Lua, outro famoso ponto turístico da região. Para chegar ao local é preciso sair da rodovia e seguir cerca de 4 km em uma estrada vicinal de terra.


Veja também: Caminhos charmosos levam à histórica Morretes

A atração é um vale rochoso esculpido pelas águas do Rio São Miguel. Ele recebe esse nome, pois a tonalidade das pedras e suas formas irregulares lembram o solo lunar. As diversas fendas nas pedras formam piscinas de água corrente e também pequenas cachoeiras.



O local está dentro de uma propriedade privada, mas é aberto a visitação. Os 800 metros que separam a entrada da propriedade até o rio são planos e bem sinalizados.

Mirante do Areião ou Estrela


Para finalizar o dia, nada melhor do que acompanhar o por do sol ou até mesmo ficar observando as estrelas do mirante. O local fica no distrito de São Jorge. Para chegar até o ponto de observação, que fica próximo à antena de rádio, é necessário percorrer 3 km em uma estrada de terra, que pode ser feita tanto a pé ou de carro. Além da bela vista do céu, a área também é um ponto de meditação, local para rodas de música e até mesmo encontros românticos para casais.

Segundo Dia:

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma reserva ambiental de mais de 65 mil hectares que reúne centenas de nascentes e curso d’água e dezenas de espécies animais. A única entrada dele é pelo distrito de São Jorge.

As trilhas e cachoeiras são os principais atrativos para os turistas. Um dos percursos mais escolhidos é a Trilha dos Saltos, da qual é possível ter uma bela visão de uma cachoeira de 120 metros de altura e, mais adiante, mergulhar no lago formado por uma queda d’água de 80 metros.



O percurso tem 9 km – ida e volta - e é considerado difícil, por ter terreno íngreme e pedregoso em grande parte. Porém, todo o esforço é compensado com o belo visual e o refrescante banho de cachoeira.

No parque existem outras três opções de trilhas para o turista escolher, cada uma com uma beleza natural diferente. A reserva é aberta de terça-feira a domingo, com entrada permitida das 8h às 12h. Já a saída deve ser feita até as 18h.

Para aqueles que não gostam de longas trilhas e preferem cachoeiras de fácil e rápido acesso, as cachoeiras dos Cristais e Loquinhas, ambas em propriedades privadas de Alto Paraíso, são as mais indicadas. A primeira fica no Km 172 da GO-188. Em um trecho de 800 metros é possível encontrar sete cascatas, com piscinas naturais. O local é ideal para crianças e idosos, pois o caminho é plano em sua maior parte.

Veja também: Amazonas: muito mais que um rio

Já Loquinhas fica a 3 km do centro da cidade. O acesso à cachoeira é por uma trilha de 1 km, também de nível fácil, em passarelas de madeira suspensas no meio da mata. No fim do caminho, encontra-se um lago de tonalidade esverdeada e que reflete a luz do sol.

Terceiro dia:

Outro destino muito procurado pelos turistas são as cachoeiras Almécegas I e II e São Bento. Todas elas ficam dentro de uma propriedade privada que fica no Km 8 da GO-239. As trilhas são planas, com boa sinalização e é possível conhecer as três quedas em um único dia.


Quarto dia:

Além desses locais, outro destino muito procurado dentro da Chapada dos Veadeiros é a cidade de Cavalcante, a 90 km de Alto Paraíso, que abriga as cachoeiras Santa Bárbara e das Capivaras. Elas ficam a 2 km de distância uma da outra. A trilha também é considerada fácil. Entretanto, é preciso ficar atento, pois, para evitar a degradação ambiental, o acesso à queda d’água é limitado a 150 pessoas por vez.


Chapada dos Veadeiros: o que visitar, quando ir e como chegar



Ajude a continuarmos publicando. Curtir a nossa página nos incentiva muito! basta clicar aqui ou no botão:


Um dos principais ponto turísticos de Goiás, a Chapada dos Veadeiros é procurada principalmente por aqueles que querem aproveitar o contato com a natureza. Abrangendo vários municípios, como Colinas do Sul, Cavalcante e Alto Paraíso de Goiás, ela é um importante berço hidrográfico nacional e oferece belas paisagens naturais, como dezenas de cachoeiras e enormes paredões rochosos, principais características do local.

O roteiro na Chapada dos Veadeiros inclui desde passeios mais calmos, como observações de pássaros, massagens e meditações, até os mais radicais, entre eles rapel e tirolesa praticados próximos às quedas d’água.

Os destinos mais procurados por quem visita a Chapada dos Veadeiros são Alto Paraíso de Goiás, a cerca de 400 km de Goiânia e 230 km de Brasília, e o seu distrito, São Jorge, que fica a 40 km de distância. Nessa região, o clima é bem definido: tempo seco de maio a setembro e chuvas começando em outubro e se estendendo até abril.

Saindo da capital federal, o caminho é pela GO-118, que está em bom estado de conservação e bem sinalizada em sua maior parte. Porém, é necessário redobrar a atenção após o município de São João D’Aliança, pois a estrada não possui sinalização, a pista é simples e não há iluminação.

Na região, é possível encontrar várias cachoeiras com as mais variadas alturas. Para chegar a algumas delas, é necessário percorrer trilhas que variam de 2 km a 12 km, considerando a ida e a volta. Alguns dos caminhos são planos em grande parte e bem sinalizados, enquanto outros apresentam nível de dificuldade mais elevado por terem terreno íngreme e acidentado.

Veja um roteiro com opções de lazer e atividades para fazer na Chapada dos Veadeiros:

Primeiro dia:

Mirante do Jardim de Maitreya

O mirante fica na GO-239, estrada que liga Alto Paraíso a São Jorge. O atrativo é um dos principais cartões-postais da Chapada dos Veadeiros. No local é possível ver a fileira de buritis cercados por vários morros, tendo como fundo um céu sempre azul e limpo na maior parte do ano. É possível parar o carro em um recuo da rodovia para se fotografar a paisagem.


Vale da Lua

Ainda na mesma estrada, já próximo a São Jorge, encontra-se o Vale da Lua, outro famoso ponto turístico da região. Para chegar ao local é preciso sair da rodovia e seguir cerca de 4 km em uma estrada vicinal de terra.


Veja também: Caminhos charmosos levam à histórica Morretes

A atração é um vale rochoso esculpido pelas águas do Rio São Miguel. Ele recebe esse nome, pois a tonalidade das pedras e suas formas irregulares lembram o solo lunar. As diversas fendas nas pedras formam piscinas de água corrente e também pequenas cachoeiras.



O local está dentro de uma propriedade privada, mas é aberto a visitação. Os 800 metros que separam a entrada da propriedade até o rio são planos e bem sinalizados.

Mirante do Areião ou Estrela


Para finalizar o dia, nada melhor do que acompanhar o por do sol ou até mesmo ficar observando as estrelas do mirante. O local fica no distrito de São Jorge. Para chegar até o ponto de observação, que fica próximo à antena de rádio, é necessário percorrer 3 km em uma estrada de terra, que pode ser feita tanto a pé ou de carro. Além da bela vista do céu, a área também é um ponto de meditação, local para rodas de música e até mesmo encontros românticos para casais.

Segundo Dia:

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma reserva ambiental de mais de 65 mil hectares que reúne centenas de nascentes e curso d’água e dezenas de espécies animais. A única entrada dele é pelo distrito de São Jorge.

As trilhas e cachoeiras são os principais atrativos para os turistas. Um dos percursos mais escolhidos é a Trilha dos Saltos, da qual é possível ter uma bela visão de uma cachoeira de 120 metros de altura e, mais adiante, mergulhar no lago formado por uma queda d’água de 80 metros.



O percurso tem 9 km – ida e volta - e é considerado difícil, por ter terreno íngreme e pedregoso em grande parte. Porém, todo o esforço é compensado com o belo visual e o refrescante banho de cachoeira.

No parque existem outras três opções de trilhas para o turista escolher, cada uma com uma beleza natural diferente. A reserva é aberta de terça-feira a domingo, com entrada permitida das 8h às 12h. Já a saída deve ser feita até as 18h.

Para aqueles que não gostam de longas trilhas e preferem cachoeiras de fácil e rápido acesso, as cachoeiras dos Cristais e Loquinhas, ambas em propriedades privadas de Alto Paraíso, são as mais indicadas. A primeira fica no Km 172 da GO-188. Em um trecho de 800 metros é possível encontrar sete cascatas, com piscinas naturais. O local é ideal para crianças e idosos, pois o caminho é plano em sua maior parte.

Veja também: Amazonas: muito mais que um rio

Já Loquinhas fica a 3 km do centro da cidade. O acesso à cachoeira é por uma trilha de 1 km, também de nível fácil, em passarelas de madeira suspensas no meio da mata. No fim do caminho, encontra-se um lago de tonalidade esverdeada e que reflete a luz do sol.

Terceiro dia:

Outro destino muito procurado pelos turistas são as cachoeiras Almécegas I e II e São Bento. Todas elas ficam dentro de uma propriedade privada que fica no Km 8 da GO-239. As trilhas são planas, com boa sinalização e é possível conhecer as três quedas em um único dia.


Quarto dia:

Além desses locais, outro destino muito procurado dentro da Chapada dos Veadeiros é a cidade de Cavalcante, a 90 km de Alto Paraíso, que abriga as cachoeiras Santa Bárbara e das Capivaras. Elas ficam a 2 km de distância uma da outra. A trilha também é considerada fácil. Entretanto, é preciso ficar atento, pois, para evitar a degradação ambiental, o acesso à queda d’água é limitado a 150 pessoas por vez.


0 Comentários