O que é preciso para entrar na Argentina? - Foca na Folga

Se você está planejando fazer um mochilão e visitar nossos hermanos, então, antes de continuar com os preparativos, é mais do que necessário parar uns instantes e saber que documentos são utilizados para entrar no país vizinho. Para começar, os turistas brasileiros não precisam de visto para ingressar em solo argentino. Os documentos para viajar à Argentina são somente dois: RG ou Passaporte. Não são aceitos como documentos de viagem nem a Carteira de Motorista (CNH) nem a Certidão de Nascimento.

No caso dos estrangeiros residentes no Brasil basta apresentar a Cédula de Identidade de Estrangeiro (RNE) --embora o documento do país de origem possa ser requerido pelas autoridades de migração. Todos os documentos deverão ter fotografia atualizada e, no caso do Passaporte, estar dentro do prazo de validade.

O prazo de permanência na Argentina como turista é de até três meses, que podem ser renovados por mais três meses, completando 180 dias no total. Para estender a sua estadia o interessado simplesmente deverá fazer a solicitação na Dirección Nacional de Migraciones.


Nos guichês dos aeroportos de Buenos Aires, Ezeiza e Aeroparque, o atendimento costuma ser rápido. Porém as filas podem ser grandes, mesmo tendo uma fila para argentinos e residentes e outra para turistas estrangeiros. Tenha o seu documento em mãos e um pouco de paciência.

Na atualidade é suficiente mostrar o documento de viagem (novamente, RG ou Passaporte). O oficial de migrações vai tirar uma foto sua junto com uma impressão digital e pronto, você já está dentro!

Lembrando: não é necessário passaporte para entrar na Argentina, mas todo mundo que eu conheço diz que gosta de levá-lo para receber o famoso carimbo. É bem legal, pois é um símbolo de uma conquista em sua vida.

 E como ir para a Argentina gastando pouco?
https://goo.gl/maps/pw6kKEHvPJp


Até o dia dessa publicação eu ainda não fui para a Argentina porque estou na fase mais importante de uma viagem: o planejamento. Eu vou fazer mochilão, mas erra aquele que pensa que é só cair na estrada e deixar rolar. Ainda não tenho um roteiro de quais cidades eu vou visitar no território vizinho, porque também quero passar no Paraguai (ninguém é de ferro, né?!). Estou planejando sair de Curitiba e pegar alguma carona até Foz do Iguaçu; e de lá seguir o roteiro que eu planejar. Nesse trajeto de quase 650 quilômetros, para gastar zero dinheiro, talvez eu peça carona com aquelas plaquinhas tradicionais ou use um aplicativo de carona, que me custará, em média R$ 100. Muito mais barato que ir de ônibus ou avião. Porém a questão do avião pode ser contraditória, já que, se você tiver disponibilidade de dias e horários, você consegue encontrar passagens aéreas muito baratas, mas, como eu gosto da estrada, por este vou!

Assim que eu for, atualizarei este post.

Conte para gente às suas experiências!

 

O que é preciso para entrar na Argentina?


Se você está planejando fazer um mochilão e visitar nossos hermanos, então, antes de continuar com os preparativos, é mais do que necessário parar uns instantes e saber que documentos são utilizados para entrar no país vizinho. Para começar, os turistas brasileiros não precisam de visto para ingressar em solo argentino. Os documentos para viajar à Argentina são somente dois: RG ou Passaporte. Não são aceitos como documentos de viagem nem a Carteira de Motorista (CNH) nem a Certidão de Nascimento.

No caso dos estrangeiros residentes no Brasil basta apresentar a Cédula de Identidade de Estrangeiro (RNE) --embora o documento do país de origem possa ser requerido pelas autoridades de migração. Todos os documentos deverão ter fotografia atualizada e, no caso do Passaporte, estar dentro do prazo de validade.

O prazo de permanência na Argentina como turista é de até três meses, que podem ser renovados por mais três meses, completando 180 dias no total. Para estender a sua estadia o interessado simplesmente deverá fazer a solicitação na Dirección Nacional de Migraciones.


Nos guichês dos aeroportos de Buenos Aires, Ezeiza e Aeroparque, o atendimento costuma ser rápido. Porém as filas podem ser grandes, mesmo tendo uma fila para argentinos e residentes e outra para turistas estrangeiros. Tenha o seu documento em mãos e um pouco de paciência.

Na atualidade é suficiente mostrar o documento de viagem (novamente, RG ou Passaporte). O oficial de migrações vai tirar uma foto sua junto com uma impressão digital e pronto, você já está dentro!

Lembrando: não é necessário passaporte para entrar na Argentina, mas todo mundo que eu conheço diz que gosta de levá-lo para receber o famoso carimbo. É bem legal, pois é um símbolo de uma conquista em sua vida.

 E como ir para a Argentina gastando pouco?
https://goo.gl/maps/pw6kKEHvPJp


Até o dia dessa publicação eu ainda não fui para a Argentina porque estou na fase mais importante de uma viagem: o planejamento. Eu vou fazer mochilão, mas erra aquele que pensa que é só cair na estrada e deixar rolar. Ainda não tenho um roteiro de quais cidades eu vou visitar no território vizinho, porque também quero passar no Paraguai (ninguém é de ferro, né?!). Estou planejando sair de Curitiba e pegar alguma carona até Foz do Iguaçu; e de lá seguir o roteiro que eu planejar. Nesse trajeto de quase 650 quilômetros, para gastar zero dinheiro, talvez eu peça carona com aquelas plaquinhas tradicionais ou use um aplicativo de carona, que me custará, em média R$ 100. Muito mais barato que ir de ônibus ou avião. Porém a questão do avião pode ser contraditória, já que, se você tiver disponibilidade de dias e horários, você consegue encontrar passagens aéreas muito baratas, mas, como eu gosto da estrada, por este vou!

Assim que eu for, atualizarei este post.

Conte para gente às suas experiências!

 

0 Comentários