Vacinas obrigatórias antes de viajar: veja se você está em dia - Foca na Folga

Desavisados podem ser mandados de volta para casa antes mesmo de sair do aeroporto.

Muita gente nem imagina que é necessário se vacinar antes de viajar para muitos lugares aqui mesmo no Brasil, seja para proteção e também porque é uma obrigação para poder entrar na maioria dos países. Saiba quais vacinas são obrigatórias e recomendadas antes de viajar.

Por que alguns países exigem vacinação?
Diferentemente do que as pessoas podem pensar, a exigência de vacinação não é para proteger você de alguma doença que existe no país, mas, sim, proteger eles de alguma doença que você possa trazer. E, apesar de parecer um pouco preconceituoso, o Brasil, se tratando de um país tropical, não é muito bem visto em outros lugares em relação à salubridade de seus moradores.

E quais vacinas são obrigatórias?
Em escala mundial, a única vacina obrigatória é a da Febre Amarela, uma doença infecciosa grave que é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti (o mesmo da dengue). É mais comum em países da América do Sul e Central, assim como em algumas regiões da África. Por não haver cura, a prevenção da Febre Amarela é de extrema importância quando em áreas de risco: além da vacinação, deve-se usar repelentes e telas e não acumular água parada.

A Febre Amarela é uma doença sem cura.

Quais são as vacinas mais recomendadas?
Certas vacinas são recomendadas quando se visita alguns países ou regiões, principalmente zonas rurais, florestas e todos os lugares de grande contato com a natureza. Dessa forma, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda que o viajante tenha sempre em dia as vacinas para Tétano e Difteria, para as Hepatites A e B e a vacina Tríplice Viral, que protege contra Sarampo, Caxumba e da Rubéola. A antirrábica, que protege contra a raiva eventualmente transmitida em mordida de cachorros, ratos e morcegos, também pode ser útil.

Quais países e locais exigem ou recomendam vacinação?
Centenas de países exigem vacinação e ocasionais surtos alteram as regras constantemente, então a forma mais fácil de consulta é através da lista oficial da Anvisa. Na lista você seleciona o país de destino e então recebe informações de obrigatoriedade ou recomendação de todas as vacinas. Clique aqui para acessar o site da Anvisa.


Alguns destinos que exigem a vacinação contra Febre Amarela para brasileiros são: África do Sul, Austrália, Bahamas, China, Cuba, Egito, Índia, Indonésia, México, Cingapura, Jamaica e Tailândia.
Já, internamente, no Brasil, recomenda-se essa vacina para áreas de matas e rios na região Norte e Nordeste devido ao clima. Mais recentemente, em razão de surtos localizados em zonas rurais dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo, a vacina tem sido recomendada para o interior da região Sudeste.

Como e quando devo me vacinar?
As vacinas, de modo geral, podem ser aplicadas em postos de vacinação ou em clínicas particulares. A vacina contra a Febre Amarela, gratuita, é tomada numa dose única e dura 10 anos.
As regras mudam para cada país, mas a recomendação da Anvisa é que qualquer vacinação seja realizada preferencialmente de seis a oito semanas antes da viagem e, no máximo, quatro semanas antes.
E se a sua viagem for para o exterior, não esqueça de fazer o Certificado Internacional de Vacinação da Anvisa. O comprovante simples de vacinação ou a Carteira Nacional de Vacinação não são válidos fora do território nacional.

Como fazer o Certificado Internacional de Vacinação?
O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é concedido, no Brasil, pela Anvisa. Para obtê-lo é necessário preenchero formulário no site e então se dirigir, com a carteirinha de vacinação comum, para algum dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante – veja a lista completa.
Guarde este documento com atenção, pois ele será requisitado no check-in quando em viagem para países que o exigem e, em alguns casos, novamente ao desembarcar no país. Quando retornar, não se desfaça dele, pois a maioria das vacinas possui um extenso prazo de validade e não é necessário fazer um novo certificado com o tempo.

Todo cuidado é pouco! Foca na Folga e boa viagem! 


Vacinas obrigatórias antes de viajar: veja se você está em dia



Desavisados podem ser mandados de volta para casa antes mesmo de sair do aeroporto.

Muita gente nem imagina que é necessário se vacinar antes de viajar para muitos lugares aqui mesmo no Brasil, seja para proteção e também porque é uma obrigação para poder entrar na maioria dos países. Saiba quais vacinas são obrigatórias e recomendadas antes de viajar.

Por que alguns países exigem vacinação?
Diferentemente do que as pessoas podem pensar, a exigência de vacinação não é para proteger você de alguma doença que existe no país, mas, sim, proteger eles de alguma doença que você possa trazer. E, apesar de parecer um pouco preconceituoso, o Brasil, se tratando de um país tropical, não é muito bem visto em outros lugares em relação à salubridade de seus moradores.

E quais vacinas são obrigatórias?
Em escala mundial, a única vacina obrigatória é a da Febre Amarela, uma doença infecciosa grave que é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti (o mesmo da dengue). É mais comum em países da América do Sul e Central, assim como em algumas regiões da África. Por não haver cura, a prevenção da Febre Amarela é de extrema importância quando em áreas de risco: além da vacinação, deve-se usar repelentes e telas e não acumular água parada.

A Febre Amarela é uma doença sem cura.

Quais são as vacinas mais recomendadas?
Certas vacinas são recomendadas quando se visita alguns países ou regiões, principalmente zonas rurais, florestas e todos os lugares de grande contato com a natureza. Dessa forma, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda que o viajante tenha sempre em dia as vacinas para Tétano e Difteria, para as Hepatites A e B e a vacina Tríplice Viral, que protege contra Sarampo, Caxumba e da Rubéola. A antirrábica, que protege contra a raiva eventualmente transmitida em mordida de cachorros, ratos e morcegos, também pode ser útil.

Quais países e locais exigem ou recomendam vacinação?
Centenas de países exigem vacinação e ocasionais surtos alteram as regras constantemente, então a forma mais fácil de consulta é através da lista oficial da Anvisa. Na lista você seleciona o país de destino e então recebe informações de obrigatoriedade ou recomendação de todas as vacinas. Clique aqui para acessar o site da Anvisa.


Alguns destinos que exigem a vacinação contra Febre Amarela para brasileiros são: África do Sul, Austrália, Bahamas, China, Cuba, Egito, Índia, Indonésia, México, Cingapura, Jamaica e Tailândia.
Já, internamente, no Brasil, recomenda-se essa vacina para áreas de matas e rios na região Norte e Nordeste devido ao clima. Mais recentemente, em razão de surtos localizados em zonas rurais dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo, a vacina tem sido recomendada para o interior da região Sudeste.

Como e quando devo me vacinar?
As vacinas, de modo geral, podem ser aplicadas em postos de vacinação ou em clínicas particulares. A vacina contra a Febre Amarela, gratuita, é tomada numa dose única e dura 10 anos.
As regras mudam para cada país, mas a recomendação da Anvisa é que qualquer vacinação seja realizada preferencialmente de seis a oito semanas antes da viagem e, no máximo, quatro semanas antes.
E se a sua viagem for para o exterior, não esqueça de fazer o Certificado Internacional de Vacinação da Anvisa. O comprovante simples de vacinação ou a Carteira Nacional de Vacinação não são válidos fora do território nacional.

Como fazer o Certificado Internacional de Vacinação?
O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é concedido, no Brasil, pela Anvisa. Para obtê-lo é necessário preenchero formulário no site e então se dirigir, com a carteirinha de vacinação comum, para algum dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante – veja a lista completa.
Guarde este documento com atenção, pois ele será requisitado no check-in quando em viagem para países que o exigem e, em alguns casos, novamente ao desembarcar no país. Quando retornar, não se desfaça dele, pois a maioria das vacinas possui um extenso prazo de validade e não é necessário fazer um novo certificado com o tempo.

Todo cuidado é pouco! Foca na Folga e boa viagem! 


0 Comentários