Fumaça da Austrália chega na Argentina - Foca na Folga

Desde o começo de novembro a Austrália está enfrentando os piores incêndios de sua história na região da costa sudoeste do país, onde o fogo é impulsionado ainda mais pela combinação de fatores como altas temperaturas, baixa umidade do ar e ventos fortes.
Até o momento, mais de cento e quarenta focos de incêndio já foram registrados. O número de hectares consumidos pelo fogo ultrapassou um milhão; pelo menos cento e cinquenta casas foram destruídas e milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas.

O número de pessoas que morreram vítimas das queimadas já é de pelo menos quatro pessoas e acredita-se também que trezentos e cinquenta coalas, animal ameaçado de extinção, também já tenham morrido devido à fumaça e o fogo.


Mulher se arrisca para salvar coala do incêndio
Nesta terça-feira (19), uma mulher se arriscou para salvar um coala ferido e queimado em meio a um incêndio. O resgate aconteceu em uma estrada próximo à vila de Long Flat, no estado de Nova Gales do Sul. Ele foi levado para um hospital médico veterinário e se recupera bem.


Rumo ao Sul
Também na terça-feira, Sydney, a maior cidade da Austrália que, apesar de quilômetros de distância dos focos das queimadas, amanheceu coberta de fumaça. Autoridades dizem que agora o incêndio caminha para o sul do país devido aos fortes ventos.

Fumaça chegou na Argentina
Apesar de estar a mais de doze mil quilômetros da Austrália, a fumaça dos incêndios viajou até à América do Sul e chegou na Argentina no último dia 14.


É possível ver através das imagens de satélite da Nasa a grande coluna de fumaça se deslocando em sua viagem de milhares de quilômetros. Apesar de incomum, essa é a segunda vez que este tipo de fenômeno é registrado.


A Austrália frequentemente enfrenta incêndios florestais. Desde 1851, eles foram responsáveis por 800 mortes e um prejuízo de bilhões de dólares.

Fumaça da Austrália chega na Argentina



Desde o começo de novembro a Austrália está enfrentando os piores incêndios de sua história na região da costa sudoeste do país, onde o fogo é impulsionado ainda mais pela combinação de fatores como altas temperaturas, baixa umidade do ar e ventos fortes.
Até o momento, mais de cento e quarenta focos de incêndio já foram registrados. O número de hectares consumidos pelo fogo ultrapassou um milhão; pelo menos cento e cinquenta casas foram destruídas e milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas.

O número de pessoas que morreram vítimas das queimadas já é de pelo menos quatro pessoas e acredita-se também que trezentos e cinquenta coalas, animal ameaçado de extinção, também já tenham morrido devido à fumaça e o fogo.


Mulher se arrisca para salvar coala do incêndio
Nesta terça-feira (19), uma mulher se arriscou para salvar um coala ferido e queimado em meio a um incêndio. O resgate aconteceu em uma estrada próximo à vila de Long Flat, no estado de Nova Gales do Sul. Ele foi levado para um hospital médico veterinário e se recupera bem.


Rumo ao Sul
Também na terça-feira, Sydney, a maior cidade da Austrália que, apesar de quilômetros de distância dos focos das queimadas, amanheceu coberta de fumaça. Autoridades dizem que agora o incêndio caminha para o sul do país devido aos fortes ventos.

Fumaça chegou na Argentina
Apesar de estar a mais de doze mil quilômetros da Austrália, a fumaça dos incêndios viajou até à América do Sul e chegou na Argentina no último dia 14.


É possível ver através das imagens de satélite da Nasa a grande coluna de fumaça se deslocando em sua viagem de milhares de quilômetros. Apesar de incomum, essa é a segunda vez que este tipo de fenômeno é registrado.


A Austrália frequentemente enfrenta incêndios florestais. Desde 1851, eles foram responsáveis por 800 mortes e um prejuízo de bilhões de dólares.
0 Comentários