Relembre as temperaturas extremas que os brasileiros enfrentaram recentemente - Foca na Folga

Publicidade

Últimas

Relembre as temperaturas extremas que os brasileiros enfrentaram recentemente

Do frio do Sul aos recordes de calor que não eram vistos há mais de um século em outros estados

Relembre as temperaturas e fenômenos meteorológicos enfrentados pelos brasileiros recentemente. Imagem: Foca na Folga 

Continua abaixo

Desde 2018 acompanhamos as diferentes sensações térmicas que foram enfrentadas pelos brasileiros em diversos estados do nosso país. Diante das altas e baixas temperaturas que o Brasil tem devido ao seu tamanho continental, com ocorrência de neve no Sul e calor extremo na sua parte norte, além de geada e granizo, vamos relembrar algumas dessas ocorrências.

Quando se fala do Sul do Brasil, normalmente remete-se ao frio e as baixas temperaturas. Mas em 19 de dezembro de 2018, Antonina, uma pequena cidade no litoral do Paraná, registrou a surpreendente marca de 80ºC de sensação térmica, com temperaturas médias de 42ºC, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

Apesar de estar localizado na Região Sudeste, A cidade do Rio de Janeiro registrou no dia 11 de janeiro de 2020 a sensação térmica de 54,8ºC às 14h15, na Estação Santa Cruz, na Zona Oeste, batendo o recorde que era de 48,6ºC registrado apenas 24 horas antes.

O Rio de Janeiro passou também pela temperatura mais alta do inverno em 04 de setembro de 2020, onde a máxima chegou a 37,6°C, de acordo com o Climatempo. Foi é a temperatura mais alta desde o dia 19 de fevereiro. Entre 14h e 15h, a umidade do ar ficou em 19%, na Zona Oeste, o que fez com os banhistas lotassem as praias indo contra as medidas de segurança contra o coronavírus que estava em alta na época em todo o país.

Já na Região Centro-Oeste do Brasil, Cuiabá, no Mato Grosso, registrou dois recordes de calor no mesmo dia após 109 anos. No dia 30 de setembro de 2020, a capital registrou às 14h a temperatura de 43,7°C. Já às 17h os termômetros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) marcaram 44°C, estabelecendo um novo recorde de calor desde dezembro de 1910, quando começaram as medições. As medições são feitas na sombra, dentro de um abrigo de madeira. Segundo o Inmet, em termômetros de rua, os registros chegam aos 50°C.

Já do outro lado do extremo, o inverno que costuma atingir o Sul trouxe temperaturas negativas e até neve.

Continua abaixo

Em 03 de julho de 2020, a Serra Catarinense registrou -5,4ºC em Urupema e -5,3ºC em Bom Jardim da Serra, conforme a Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições meteorológicas no estado.

Já em 20 de agosto de 2020 a neve chegou em Gramado, no Rio Grande do Sul, e em Santa Catarina, para a alegria dos turistas que aguardavam por aquele momento. Assista aos vídeos clicando aqui.

Não muito comum, mas sempre com previsões de possibilidade, no outro dia a neve chegou em Curitiba, capital do estado do Paraná. Às 22 horas do dia 21 de agosto, neve e chuva congelada começaram a cair na cidade e na região metropolitana. Assista aqui.

Em novembro de 2020, uma forte chuva de granizo atingiu Curitiba. Apesar de serem pedras de gelo e a paisagem ficar parecida com uma grande nevasca, o fenômeno ocorre durante o verão e causa bastante estrago nos telhados e plantações. Veja as imagens aqui.

+Veja também: Entenda a diferença entre neve, chuva congelada, chuva congelante, granizo e geada

Em 10 de outubro de 2020, Santa Catarina registrou temperaturas altas no litoral e geada no interior do estado, variando entre 1 e 26ºC entre as regiões. No Vale do Caminhos da Neve, situado a cerca de 3 quilômetros do Centro de São Joaquim, o amanhecer registrou geada. Flocos de gelo se acumularam nas plantações e em vidros de carros. No Litoral Norte, o sábado começou com sol e movimento intenso em Balneário Camboriú, o que não estava permitido na época devido ao coronavírus.

E de volta à Urupema, em Santa Catarina, no começo do ano a cidade registrou geada em 25 de janeiro, marcando a mínima de 1,7ºC em pleno verão. 

Os últimos anos foram de temperaturas extremas em nosso país. Há quem prefira o frio e tem quem prefira o calor. Comente abaixo qual você prefere!

👉 Acompanhe o Foca na Folga no Facebook